Arquivo da categoria: campanha

CHARLOTTE TAYLOR E SUAS CRIAÇÕES DIVERTIDAS

Achei uma designer pra lá de fofa, a Charlotte Taylor.

Infelizmente achei poucas fotos do que ela produz, mas pelas fotos de turbante que vi, a coleção spring/summer está bem com aquela carinha de vintage, e bem divertida, pela estampa de lagosta, elefante e formigas.

Vale a pena conferir.

Clássicos mas com aquela pimentinha.

Etiquetado , , , , , , , , , , , , , , , , ,

RODARTE PARA OPENING CEREMONY

Opening Ceremony é uma marca bem legal, norte-americana, que produziu os sapatos dos meus sonhos, aqui , enquanto a Rodarte é liderada por 2 irmãs, que sempre fazem uma alta costura bem linda e diferente de se ver.

Pois é, a Rodarte assinou uma coleção para a Opening Ceremony que é incrível. Muitas estampas, principalmente as florais, tricô, malharia, couro, assimetria. Bem delicada, tem visíveis influências boho 70s e grunge.

Putz.

Etiquetado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

CHANEL SPRING 2011 MAIS ROQUEIRA

Saiu a campanha de primavera 2011 da Chanel, com a Freja e Stella Tennant, e fotografada pelo artista superpolivalente Karl Lagerfeld.

Olhando superficialmente, são os mesmos terninhos de tweed, nas cores básicas da vida, mas o styling deu um jeito e transformou os looks numa coisa mais rock’n’roll, com muitas influências do estilo dos motoqueiros, tipo que usam Harley Davidson, sabe?

Gente, olha que brega esse Baptiste Giabiconi de concurso da camiseta molhada.

Lindo o grafismo da primeira bolsa, né? Entrando na wishlist imaginária, risos.

Fazendo um link com o cinema, indico o filme ‘Easy Rider’, ou ‘Sem Destino’, em português, que mostra 2 motoqueiros da contracultura dos anos 60 cruzando os EUA sem lenço nem documento, usando muita maconha e falando muita besteira. Um clássico do Cinema Novo estadunidense, que rendeu a Jack Nicholson sua primeira indicação ao Oscar. Vale muito a pena ver o trailer!

O filme é de 1969, e tem aquela música que todo mundo adora, do Steppenwolf, ‘Born to be Wild’. Além de mostrar muito a vida em comunidade hippie, um dos meus filmes favoritos, é bem bapho!

 

 

Etiquetado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

KARL LAGERFELD NA CAMPANHA DA VOLKSWAGEN

Quem acompanha a moda de modo geral sabe da paixão que o kaiser tem por fotografar ou fazer curta-metragens. Pois é.

Só que dessa vez ele fez diferente, tornou-se garoto-propaganda da linha “Style” para o Golf Plus, Golf e Polo, sendo que o mesmo redesenhou algumas linhas dos modelos, que trazem detalhes sutis como novas ligas de alumínio, janelas coloridas e logos para aplicar no carro. Já o pacote Style Plus traz rodas diferenciadas e teto solar.

Nota: o carro só será vendido na Alemanha mesmo, terra natal de Lagerfeld.

+ o trailer!

 

BUSINESSMAN!

Etiquetado , , , , , , , , , ,

O QUE REPRESENTA A TRANSFORMAÇÃO RADICAL DE DILMA ROUSSEF – UMA REFLEXÃO

 

Juntamente com a chegada de um novo ano – e todos os seus votos de esperança -, o início de 2011 significou, do mesmo modo, a posse de Dilma Roussef na presidência do Brasil.

Talvez não devesse fazer qualquer tipo de conotação política, mas sou favorável à Dilma, e creio que todos nós, como cidadãos, devemos apoiar e torcer por seu trabalho, enquanto ainda há esperança, como dito acima.

Entretanto, o tópico primordial não é sobre sua carreira política ou sobre os ministros que tomaram posse nos últimos dias, mas sobre a transformação radical de seu visual. Proponho que levantemos uma reflexão sobre o assunto.

Faz algum tempo que começou a especulação sobre quem seria a candidata de Lula ao governo, e o nome mais lembrado era o da ministra da Casa Civil, Dilma Roussef. Uma escolha arriscada, pensava, já que a ministra foi militante contra a ditadura, com histórico de assalto a bancos e tudo, e conheço algumas pessoas que apedrejaram-na por esse fato isolado, que ocorreu em um momento singular, radicalmente diferente do hoje. E a situação era um tanto pior, já que Dilma não tinha – e continuou não tendo – experiência em cargos políticos. Mas o que era difícil complicou-se. Sua imagem pessoal.

Dilma era observada como sendo forte, truculenta, brava, rude, persistente. E sua imagem exterior era a de uma mulher envelhecida, sem grandes vaidades, cuja preocupação primordial era o trabalho. Características que, durante o período até sua indicação à candidatura, foram explicitamente manipuladas, já que a população não simpatizava com o que sua figura representava.

Desde então, apesar de um câncer, Dilma participou de um extreme makeover. Suas roupas antigas sumiram, seus cabelos foram gradualmente transformados, e foi observado inclusive pequenas correções estéticas em seu rosto. Celso Kamura foi o hairdesigner responsável e até Alexandre Herchcovitch cuidou de seu styling. Uma equipe de peso para que Roussef fosse considerada com mais simpatia pelos eleitores.

E é exatamente isso que deveria suscitar uma discussão. Obviamente a educação e gentileza posteriores são favoráveis, já que sempre são pontos a serem aprimorados por qualquer indivíduo, mas é importante que avaliemos até onde sua identidade visual realmente faz diferença, principalmente em um cargo como o de Dilma, chefe de Estado. É racional que a opinião pública se transforme apenas pelas mudanças de um look? É possível que com esse comportamento em massa os marqueteiros políticos passem a desconsiderar outros fatores que possam ser infinitamente mais relevantes, como sua experiências, práticas e discurso? Porque, pelo que pudemos observar, essas eleições foram as menos sérias possíveis, no que concerne à parte pragmática e de conteúdos das campanhas e debates dos candidatos. Exceto pela candidata Marina Silva, me arrisco a dizer, que sempre explicitava seus planos de governo.

 

Dilma está linda, seu cabelo está espetacular, e as dicas de styling foram essenciais. Mas e o que a candidata de fato representava além do superficialismo pela qual foi julgada pela opinião em geral?

Etiquetado , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

LOUIS VUITTON SPRING 2011 CAMPAIGN PREVIEW

Continuando com as campanhas que estão inundando o mundo nesse início de ano, eis o preview da nova Louis Vuitton, com – na ordem – a brasileira Raquel Zimmermann, Kristen McMenamy e Freja Beha Erichsen.

Aliás, a rosa da Freja é bem legal, meio country meio disco.

Acho que 2011 vai ser o revival da era da discoteca.

Etiquetado , , , , , , , , , , , ,

MENTALIZEI: NOVA IT BAG DA MULBERRY

Teve a Mulberry Alexa, inspirada na Alexa Chung

tradicional,

de vinil,

as “inspiradas” pela original,

da arezzo

de moletom da pop up store

CERTEZA de que essa vai ser o novo carro-chefe da marca. MENTALIZEI

o couro desgastado + corrente atualizam o que parece bastante uma maleta de trabalho. E não é porque disse isso que desgosto, pelo contrário, quero uma para chamar de minha em 3,2,1.

(Lindsey Wixon para dar um ar moderno)

Essa foto é um achado, Lindsey cara limpa e bem linda, amo o queixo zezé dicamargo e os dentinhos.

Etiquetado , , , , , , , , , , , , , , ,

TOM FORD GOES RETRO

(TODAS AS FOTOS FICAM BEM MAIORES, SÓ CLICAR)

Coleção de primavera/verão dos óculos Tom Ford = muito glamour 70s + brilhos + loura platinada + modelo Clark Kent + make bapho

Para quem não se recorda, em 2010, Tom Ford resgatou os óculos de gatinha direto dos anos 50, o “Nikita”, e esse é bem uma versão mais moderna dele, um pouco arredondada. Meu favorito. E uma dica para quem não acredita em batom vermelho ou make bem elaborado com óculos.

gente, e esse boy magia, fazendo sucesso com o público gay, Tom Ford tem bem essa missão né, vide o filme dele, maravilhoso, ” A Single Man”.

Musa disco, maxióculos, unhas em forma de garra, que eu acho que possa pegar em 2011, já vi a Dita von Teese usando, mas no Brasil.. nunca sabemos né?

(tirei do twitter da Dita)

Pelo que parece, a onda retro do ano passado, com os wayfares, clubmasters, não deve acabar tão cedo.

O que eu, particularmente, gosto muito.

Etiquetado , , , , , , , , , , , , ,

Beyond, por Anna Dello Russo.

Rhyco perfuminho by Anna Dello Russo, editora da Vogue Nippon.

Será vendido no Natal.

ADR tem um blog todo mimimi ESCÂNDALO

Gente, ela é uma senhora, tá? e olhem isso!

Como proceder, não é mesmo?

Etiquetado , , , ,

Kris Van Assche.

Se tem uma coisa que me satisfaz na vida é encontrar designers, artistas, obras enfim, que eu não conhecia antes.

“Kris Van Assche was born in Belgium in 1976. Shortly after graduating from the Antwerp Royal Academy of Fine Arts, he moved to Paris in 1998. After working with Hedi Slimane at Yves Saint Laurent and then for Dior Homme, he began to show his original creations in January 2005. Today he heads his own label, KRIS VAN ASSCHE, and artistic director for Dior Homme since april 2007.

Kris Van Assche was born in Belgium in 1976. Shortly after graduating from the Antwerp Royal Academy of Fine Arts, he moved to Paris in 1998. After working with Hedi Slimane at Yves Saint Laurent and then for Dior Homme, he began to show his original creations in January 2005. Today he heads his own label, KRIS VAN ASSCHE, and artistic director for Dior Homme since april 2007.” – parte da bio do designer, extraída do seu próprio site.

Kris Van Assche é um desses exemplos maravilhosos.

Eis alguns itens de sua coleção Primavera/Verão 2011:

acima: salto anabela light para os meninos. quem curtchy?

gente, sandalinhas para homens com força total, inclusive as gladiadoras.

JESUS!

ah, também tem óh:

acima: se lembram da cintura marcada? esse cinto fininho é ótimo para isso.

algumas imagens da campanha do estilista para a coleção outono/inverno 2010:

e um exemplo de RUA de que as gladiadoras masculinas VÃO pegar:

sandálias Givenchy.

Etiquetado , , , , , ,
%d blogueiros gostam disto: